quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Sem nenhum sentido!

         
          Quis muito que você me amasse...
          Quis muito ser amada e desejada por você.
          Sonhei com seus beijos, sua boca na minha,
          Naquele corpo-a-corpo que conhecemos bem!
          Sonhei com uma casinha de sapê e um jardim só nosso...
          Torci para que você, pelo menos me olhasse...me notasse.
          Platonices... acordei...
          Vi a realidade dos fatos e me assustei com meus sonhos,
          Você não me amou, não me desejou, não me beijou,
          Não construimos nada só nosso, você não me olhou,
          Não me notou... Eram platonices...
          Acordei!
          Hoje os seus carinhos são para mim como um pesado
          Som de rock aos ouvidos de um velho seresteiro...
          Sem nenhum sentido!
                                                                     Sandra.
         

2 comentários:

  1. Se garante, Sandroca!
    Beijos.
    Manoel

    ResponderExcluir
  2. Veja também este texto no Clube de Novos Autores

    http://clubnovosautores.blogspot.com/2011/10/primeiro-amor.html

    ResponderExcluir